Derrubada da mata atlântica em SP cresce 5 vezes

O desmatamento da mata atlântica na Região Metropolitana de São Paulo aumentou cinco vezes entre 2005 e 2008 em relação aos cinco anos anteriores. Os dados fazem parte de um levantamento preliminar, divulgado ontem pela Fundação SOS Mata Atlântica e pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), que mostrou uma inversão da tendência de queda que vinha sendo observada.

Agência Estado |

Em maio, quando foi divulgado o Atlas dos Remanescentes da Mata Atlântica 2000-2005, registrou-se pela primeira vez uma queda no desmatamento do bioma no País. A área derrubada naquele período foi 69% menor que no anterior (1995-2000). De lá para cá, no entanto, o desmate voltou a crescer, ao menos nas regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro e Vitória (ES) - as três avaliadas por enquanto. A perda somada foi de 793 hectares - cerca de 990 campos de futebol.

O maior aumento ocorreu em São Paulo, justamente o Estado que apresenta o maior remanescente de mata atlântica. No período desapareceram 437 hectares de mata, contra 48 hectares entre 2000 a 2005. Essa taxa, nove vezes maior que a anterior, inclui os 201 hectares desmatados para a construção do Rodoanel. Como esta foi uma derrubada autorizada, não entra na conta do desmate ilegal. Mas mesmo sem ela, a taxa foi cerca de cinco vezes maior. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG