Deputados que pagaram viagens de parentes com cota da Câmara não serão punidos

BRASÍLIA - O presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP) disse nesta terça-feira que, assim como o deputado Fábio Faria (PMN-RN), que usou a cota de passagens para pagar viagem à ex-namorada Adriane Galisteu, nenhum deputado envolvido na chamada ¿farra das passagens¿ será punido.

Carol Pires, repórter em Brasília |

A justificativa usada por Temer é a mesma alegada pelos deputados que usaram cota da Câmara para custear viagens de amigos e parentes. Na avaliação do presidente, não havia regras que proibissem o uso das passagens no período em que foram utilizadas.

Não se trata de anistia, eles têm o direito de usar essa verba. A cota era uma ajuda de custo do parlamentar, o sistema jurídico anterior autorizava essa espécie de conduta, afirmou. Eu não posso examinar questões éticas. Tem que se examinar pelo foro jurídico. O argumento é que o sistema jurídico anterior permitia, há esse atenuante.

A comissão interna de sindicância que investiga o caso tinha 30 dias para concluir as investigações, mas teve o prazo prorrogado por igual período nesta segunda-feira.

O Ministério Público também investiga a denúncia de uso irregular de passagens aéreas. Segundo o presidente da Câmara, a defesa dos parlamentares será feita individualmente. Se houver uma manifestação do Ministério Público, os que foram incriminados vão se defender. O parlamentar é que vai defender se houver manifestaçõe em outros órgãos. Não é só um poder que toma providências.

Leia mais sobre  cota de passagens

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG