Deputados do PT indicam prefeito de Osasco para disputa em SP

SÃO PAULO (Reuters) - A possibilidade de o deputado federal e ex-ministro Ciro Gomes (PSB) concorrer ao governo paulista no ano que vem com apoio do PT levou petistas descontentes a apressar a indicação de nomes da própria legenda. Um grupo de 15 deputados estaduais entregou nesta terça-feira ao presidente do diretório, Edinho Silva, um manifesto de apoio à candidatura do prefeito de Osasco, Emídio de Souza (PT), em segundo mandato à frente do município. O grupo defende que o PT apresente a indicação aos partidos aliados (PSB-PDT-PCdoB).

Reuters |

Apenas quatro deputados não assinaram, entre eles o líder Rui Falcão, ligado à ex-prefeita Marta Suplicy, outro nome que desponta como candidata no partido.

"O PT tem que apresentar um nome para as forças políticas que estiverem dispostas a construir uma aliança política visando a mudança. Uma alternativa ao PSDB", disse à Reuters o deputado Carlinhos Almeida.

Segundo o deputado, o grupo defende a definição da candidatura entre agosto e setembro. "Devemos antecipar o máximo possível", acredita.

A entrega do manifesto acontece uma semana depois de o PT estadual abrir o processo de discussão, quando foi criada uma comissão para definir a candidatura que o partido apoiará em 2010, após a crise deflagrada pela declaração de Ciro Gomes de que estava pensando em se candidatar em São Paulo. O líder do PT na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza (SP), manteve conversas com Ciro neste sentido.

Emídio, segundo Carlinhos Almeida, é o nome do partido que reúne experiência administrativa e conhecimento dos problemas do Estado, além de ter bom diálogo com parlamentares.

Outros petistas têm sido cogitados para disputar o governo paulista pelo PT, além de Emídio e Marta. São eles os deputados Antonio Palocci e Arlindo Chinaglia, o senador Aloizio Mercadante e o ministro da Educação, Fernando Haddad.

O candidato petista terá a missão de desbancar os tucanos de uma hegemonia de 14 anos à frente do governo do Estado. Pelo PSDB, estão no páreo o ex-governador Geraldo Alckmin e o secretário da Casa Civil, Aloysio Nunes Ferreira.

(Reportagem de Carmen Munari)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG