O deputado paraense Luiz Afonso Sefer (DEM), acusado de abuso sexual contra uma menina de 13 anos, que aos 9 veio do interior do Estado para trabalhar na casa dele, encaminhou carta à direção regional de seu partido renunciando à condição de líder na Assembléia Legislativa e também a de integrante da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pedofilia, da qual era suplente. Ele fez isso para não ser expulso do partido pela direção nacional do DEM.

"Me afasto até que se prove minha inocência nesse caso em que sou vítima de absurdas e infundadas acusações", afirmou Sefer na carta entregue ao presidente do DEM no Estado, o deputado federal Vic Pires Franco.

A CPI da Pedofilia, instalada semana passada na Assembléia, ouvirá o depoimento de Sefer antes do final de janeiro. A Comissão também pretende ouvir a menina que acusa o deputado de abuso. O deputado Vic Pires, após conversa com o juiz da Infância e Juventude, José Maria Teixeira do Rosário, deixou a sala do magistrado "desolado com o que ouviu". Sefer contratou dois advogados para defendê-lo no processo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.