Deputado quer anular punição do PT no Supremo

Suspenso pelo PT por 1 ano por pregar publicamente a não liberação do aborto, o deputado Luiz Bassuma (BA) anunciou hoje em plenário que vai recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF) para anular a punição. Em discurso, Bassuma disse que vai abrir mão de concorrer à reeleição à Câmara no próximo ano para se dedicar à defesa de sua opinião contra a liberação do aborto.

Agência Estado |

A sanção do PT já começou a ser posta em prática. Segundo o deputado, na sexta-feira, ele já foi retirado de duas comissões de que fazia parte na Câmara: a CPI do Desaparecimento de Crianças e uma das comissões especiais de análise do marco regulatório do pré-sal. Bassuma achou que seria também impedido de fazer discursos e chegou a levar uma mordaça preta no bolso com a palavra censurado escrita em branco. Mas teve a palavra garantida e não precisou usá-la.

Agora, espera uma guerra contra o partido ao qual se filiou em 1995, originário do movimento dos petroleiros da Bahia. O deputado avalia que a direção do PT lhe aplicou a suspensão por um ano para forçar seu pedido de desfiliação, já que a permanência na legenda inviabilizaria sua candidatura à reeleição. Por isso, decidiu permanecer e recorrer ao Supremo.

"Acho que eles julgaram que me dariam uma espécie de troféu me expulsando. Mas a campanha contra o aborto é a causa da minha vida. Sou presidente no Brasil de uma frente em defesa da vida e contra o aborto. E entre o PT e a minha consciência, fico com minha consciência", afirmou o deputado.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG