Deputado estadual foi mandante de atentado à delegacia, diz titular

RIO DE JANEIRO ¿ O titular da 35ª DP (Campo Grande), Marcus Neves, reafirmou nesta quinta-feira que o ataque à delegacia foi encomendado pelo deputado estadual Natalino José Guimarães (DEM). Segundo ele, investigações realizadas apontam o parlamentar como mandante do crime. O atentado seria, para o delegado, uma represália à ação da polícia, que vem combatendo a ação de milícias na região há cerca de três meses.

Redação |

Marcus Neves divulgou também o envolvimento do irmão de Natalino, o vereador Jerônimo Guimarães, o Jerominho (PMDB), no caso. Ambos foram denunciados pelo Ministério Público Estadual por formação de quadrilha, acusado de chefiar a milícia de Campo Grande, conhecida como Liga da Justiça.

Ontem, a polícia prendeu dois homens suspeitos de terem fabricado a bomba. Eles teriam confessado que confeccionaram o material a mando do deputado estadual Natalino Guimarães. O ataque aconteceu por volta das 2h20 de quarta-feira. O explosivo, de fabricação caseira, tinha alto poder de destruição. No momento em que a bomba foi arremessada havia oito pessoas na delegacia, mas ninguém ficou ferido. A explosão destruiu os vidros da entrada da delegacia e atingiu uma viatura estacionada próxima ao local.

Natalino se defende

O deputado estadual Natalino Guimarães se defendeu das acusações feitas pelo delegado Marcus Neves. O parlamentar disse que não está à serviço de milícias e sim do povo. Segundo Natalino, o grande bandido dessa história se chama Marcus Neves.

Exaltado, o deputado chamou o delegado de canalha, mentiroso, sem vergonha, desequilibrado, débil mental e declarou que o mesmo deveria ser internado no Hospital Psiquiátrico Pinel. Natalino disse também que seu irmão, o vereador Jerominho, está preso injustamente. Ele acredita que o atentado tenha sido armado e afirmou que essas perseguições a alguns deputados sempre acontecem em períodos eleitorais.

A entrevista foi concedida à rádio CBN.

Leia mais sobre: milícias no Rio de Janeiro

    Leia tudo sobre: bombadelegaciamilíciarioviolência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG