O deputado estadual e candidato a prefeito de São Miguel dos Campos, George Clemente (PSB), prestou depoimento hoje aos delegados Daniel Coraça e Luiz Marques na sede da Superintendência da Polícia Federal (PF), em Maceió. De lá, o parlamentar saiu indiciado por crime de peculato, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro, no inquérito da Operação Taturana, que apura o desvio de mais de R$ 280 milhões da Assembléia Legislativa de Alagoas.

Com o indiciamento de Clemente, sobe para 14 o número de deputados estaduais arrolados pela PF no golpe.

"O indiciamento dele é exatamente por conta do desvio de dinheiro, o que caracteriza crime de peculato", afirmou o delegado Daniel Coraça. Segundo ele, o deputado foi indiciado por lavagem de dinheiro porque cometeu os mesmos crimes supostamente praticados pelo deputado estadual afastado Dudu Albuquerque (sem partido), de quem foi suplente entre 2003 e 2004. No depoimento à PF, o parlamentar alegou que a prática do desvio era praxe e ele apenas obedeceu.

O delegado disse que ficou comprovado por meio dos laudos financeiros de Dudu Albuquerque a utilização da verba de gabinete para pagar empréstimos pessoais. Por isso, George Clemente teve que prestar esclarecimentos acerca do dinheiro desviado para a conta do parlamentar afastado. Segundo a PF, Clemente remeteu cerca de R$ 237 mil para a conta de Dudu Albuquerque. O dinheiro seria da verba de gabinete e estaria sendo utilizado para quitar empréstimos pessoais do deputado afastado.

Clemente foi depor acompanhado do advogado Marcelo Brabo e negou qualquer participação no desvio de recursos da Assembléia alagoana. De acordo com o advogado dele, quando assumiu como deputado o mandato na vaga de Dudu Albuquerque, Clemente - a exemplo dos outros suplentes que também assumiram as vagas dos doze deputados afastados por suposto envolvimento da Operação Taturana - apenas repassou o primeiro mês da verba de gabinete ao parlamentar afastado. "A partir do segundo mês, a verba de gabinete passou a ser administrada pelo próprio deputado."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.