Deputado diz que residência do governador do DF consumiu duas toneladas de camarão

BRASÍLIA - O deputado distrital, Cabo Patrício (PT), denunciou nesta quarta-feira que a residência oficial do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, consumiu, no ano passado, duas toneladas de camarão, uma tonelada e meia de filé mignon, mais de quatro toneladas de queijo e 765 quilos de bacalhau. Os dados, de acordo com o parlamentar, são do Sistema Integrado de Gestão Orçamentária, de acesso livre dos parlamentares por meio de senha.

Agência Brasil |

Esses números são do próprio governo. O consumo é exagerado, principalmente de filé mignon e de camarões. Os números são exorbitantes para um governo que diz que tem uma gestão de corte de gastos. Então não justifica. É importante que eles esclareçam esses fatos, disse o deputado, ao cobrar explicações do governo do Distrito Federal.

Eu não estou questionando a questão do feijão, do arroz e de outros utensílios, mas estes levantados chamam muito a atenção, disse.

O secretário de Comunicação, Welington Moraes, justificou o consumo afirmando que foi oferecida alimentação a 300 seguranças que guardavam a residência.

Águas Claras [residência oficial] hoje funciona como palácio do governo, porque o Palácio do Buriti vai ser ocupado pelo presidente da República, portanto tem suas despesas naturais de palácio.

A segurança, hoje, lá de Águas Claras é terceirizada. Então era uma despesa que já existia. Não tem 200 toneladas, duas toneladas, não existe isso e se você pegar alguns dados que tem lá e dividir em 12 meses, você vai ver que para 300 pessoas consumir isso é irrisório, afirmou o secretário.

Leia mais sobre: José Roberto Arruda

    Leia tudo sobre: josé roberto arruda

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG