Deputado campeão em viagens tem atuação discreta

Parlamentar de primeiro mandato no Congresso, o deputado Dagoberto Nogueira Filho (PDT-MS) surpreendeu ao encabeçar o ranking do número de viagens internacionais feitas com a cota de passagens aéreas da Câmara, com a emissão de 40 bilhetes. Integrante da bancada ruralista, aos 53 anos, Dagoberto, paulista de São José do Rio Preto, tem uma atuação discreta no Congresso.

Agência Estado |

Mas ocupou espaços importantes no governo de Mato Grosso do Sul, especialmente nos dois mandatos de José Orcírio dos Santos, o Zeca do PT, entre 1999 e 2006.

Foi justamente durante a administração de Zeca do PT que o deputado conseguiu sua maior visibilidade política. Foi eleito deputado estadual, mas se licenciou do cargo para ocupar a estratégica Secretaria Estadual de Justiça. A projeção política foi tão boa que decidiu deixar o posto para poder concorrer à Prefeitura de Campo Grande. Acabou em terceiro lugar, com 52.929 votos, atrás do petista Vander Loubet - hoje deputado federal - e de Nelsinho Trad (PMDB), que foi eleito.

De volta à Assembleia Legislativa, foi novamente convidado a integrar a equipe de Zeca do PT, assumindo outra secretaria, a de Produção e Turismo. Pensou em concorrer novamente à prefeitura, mas não conseguiu viabilizar politicamente a candidatura.

Como deputado estadual, Dagoberto já abrira polêmica com os ambientalistas ao apresentar projeto que dava permissão para o plantio de cana de açúcar em áreas do Pantanal. Grupos de ambientalistas protestaram, avaliando que a proposta prejudicaria o ecossistema local.

Na ocasião, Dagoberto se defendeu afirmando ser contra o plantio da cana na planície “por ser prejudicial ao ecossistema pantaneiro”, mas apoiando o plantio na região de planalto, por reduzir “a agressão ao solo, que causa erosão e assoreamento dos rios”. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG