Depressão pode indicar hipotireoidismo, alertam especialistas

Fraqueza nos músculos, cansaço e dificuldade de concentração, além de perceber que seus batimentos cardíacos mais demorados. Tais sinais, típicos de quem está com depressão, também são sintomas comuns nas pessoas que sofrem de hipotireoidismo.

Agência Estado |

“Um sintoma muito comum em pacientes que sofrem de hipotireoidismo, doença causada pela deficiência do hormônio tireoidiano, é a depressão. Muitas vezes, as pessoas que passam a ter o problema costumam buscar ajuda psiquiátrica e, consequentemente, não conseguem solucionar a questão, já que a causa é uma disfunção da tireoide”, diz Ana Luiza Maia, chefe do Setor de Tireóide do Hospital das Clínicas de Porto Alegre.

De acordo com a professora doutora Laura Sterian Ward, do departamento de clínica médica da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp (Campinas), os leigos costumam banalizar a doença, sem saber ao certo do que estão falando, muito menos onde está localizada a tireoide e qual é a sua real função. “Ela é uma glândula maravilhosa, alojada na região anterior do pescoço, bem na base da garganta, perto das gordurinhas, no formato de uma borboleta.” Segundo a especialista, o papel da glândula é regular o metabolismo por meio dos hormônios tiroxina e tri-iodotironina. Juntos, eles controlam a velocidade com que o organismo queima energia e processa reações.

Nem sempre o organismo reage da forma esperada pelos médicos, principalmente entre as mulheres. “Essa doença é oito vezes mais comum em mulheres do que em homens. E ainda não se sabe ao certo o motivo de as mulheres correrem mais riscos”, avisa Laura. Há dois fenômenos que denunciam que algo está errado no corpo humano: o hipotireoidismo e o hipertireoidismo. O primeiro quadro, se não for tratado, faz com que a pessoa sinta-se preguiçosa, deprimida, ganhe peso inexplicavelmente e tenha fortes dores nas articulações; o segundo caso está diretamente relacionado aos sintomas de menores períodos menstruais, perda de peso e batimentos cardíacos acelerados, sem contar o risco aumentado de infertilidade e aborto.

Exame

O mau funcionamento da tireoide pode ser confirmado por um simples exame de sangue, chamado de TSH, que verifica os níveis de hormônio tireoidiano - ou pelo ultrassom, que diagnostica se há ou não nódulos na glândula. “Caso a pessoa comece a sentir alguns dos sintomas relacionados aos problemas de tireoide ou ache que tem uma bolota maior do que a comum na garganta, o ideal é procurar um endocrinologista o quanto antes”, alerta Márcia Puñales, endocrinologista pediátrica do Instituto da Criança com Diabetes e pesquisadora do Setor de Tireóide e do Serviço de Endocrinologia do Hospital das Clinicas de Porto Alegre.

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG