Depoimento de ex-funcionário vítima de atentado é remarcado

Advogados que defendem João Marques renunciaram à causa. Depoimento foi reagendado para dia 31

Severino Motta, iG Brasília |

O depoimento de João Marques dos Santos, do ex-funcionário do fundador da Gol Linhas Aéreas, Nenê Constantino, foi reagendado para o próximo dia 31. De acordo com o promotor de Justiça Bernardo Urbano, a nova data foi definida devido à renuncia dos advogados de Marques.

“Ele terá tempo para conseguir novos advogados e marcamos o depoimento para o dia 31. Espero que nessa data seja possível ouvir todos os envolvidos para que o juiz decida se Nenê vai ou não a júri popular”, disse Urbano.

Ele é o promotor responsável pela processo em que o empresário e Marques respondem pelo assassinato de um líder comunitário morto em 2001, numa invasão da garagem da companhia de ônibus União, em Brasília, de propriedade de Constantino.

Conforme o iG revelou, Marques sofreu uma tentativa de assassinato no último dia 18, há menos de duas semanas da audiência desta terça-feira, quando ele seria novamente interrogado sobre o mando de Nenê, seu antigo patrão, nos crimes de assassinato.

Além desse processo, Marques também é testemunha noutro caso, em que Nenê é acusado de mandar matar seu ex-genro. Ele sustenta que o empresário foi o mandate e teria lhe pedido para contratar um pistoleiro para o crime.

O iG tentou entrar em contato com a defesa de Nenê diversas vezes. E até agora não conseguiu resposta. O advogado Alberto Toron, que cuida do caso, disse que falaria com jornalistas que estão no Fórum de Taguatinga em uma hora.

Prisão

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal analisa o pedido de prisão feito pelo promotor Bernardo Urbano contra Constantino e contra seu homem de confiança, Vanderlei Batista que, segundo o Ministério Público é o braço-direito do empresário e seu operador nos crimes de assassinato.

    Leia tudo sobre: nenêmarquestentativa assassinato

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG