Depoimento de delegado em CPI começa pontualmente

BRASÍLIA - A reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Escutas Telefônicas, na Câmara dos Deputados, destinada ao depoimento do delegado da Polícia Federal (PF), Protógenes Queiroz, começou pontualmente às 14h30 desta quarta-feira. O delegado, que tentou evitar sua participação por meio de mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF), compareceu munido de livros, entre os quais a Constituição Federal. Após a abertura dada pelo presidente da CPI, deputado Marcelo Itagiba (PMDB-RJ), a palavra foi passada diretamente a Protógenes.

Regina Bandeira e Sarah Barros, do Santafé Idéias |


O principal argumento do delegado para não comparecer à reunião foi a realização de um curso de aperfeiçoamento na Academia Nacional de Polícia. Nem a comissão, nem o STF consideraram a justificativa suficiente para adiar a reunião para a semana que vem, conforme proposta do delegado.

O interesse no depoimento do delegado que conduziu a Operação Satiagraha aumentou depois que o STF concedeu a 17 empresas de telefonia o direito de não entregar à CPI dados sobre grampos realizados no ano passado. A PF teria tido acesso aos dados, utilizados nas investigações de crimes financeiros que levaram à prisão do banqueiro Daniel Dantas, do ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta e do mega investidor Naji Nahas. Protógenes deve insistir em não dar detalhes sobre as investigações, uma vez que ainda estão em curso.

Leia também:

  • CPI dos Grampos ouvirá Dantas, Protógenes e Sanctis


Leia mais sobre: Protógenes

    Leia tudo sobre: protogenes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG