O prédio do Instituto de Farmacologia e Biologia Molecular da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), localizado em Vila Clementino, zona sul da capital paulista, teve de ser esvaziado na noite de terça-feira após uma ligação anônima pela qual a telefonista do instituto foi informada sobre a existência de uma bomba em um dos quatro prédios do complexo universitário.

Policiais militares do 12º Batalhão foram chamados e, após uma hora de varredura nos edifícios, localizaram uma sacola azul, na qual havia a suposta bomba, e uma caixa preta contendo um interruptor em um dos lados, na posição ligado.

Agentes do Grupo de Ações Táticas e Especiais (Gate) deslocaram-se até a Unifesp. O entorno do prédio foi isolado e o interior esvaziado.

Na madrugada, a caixa foi detonada pelos policiais. De acordo com a polícia, as primeiras impressões mostraram que no interior do pacote havia uma bateria e um relógio tipo despertador. A rua foi liberada ao trânsito e os moradores puderam ter acesso às residências próximas. A polícia irá analisar as imagens das câmeras da Unifesp para tentar identificar quem teria deixado o pacote no instituto.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.