Denise Abreu diz não ser culpada por acidente da TAM

SÃO PAULO - A defesa da ex-diretora da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Denise Abreu, reagiu nesta sexta-feira à possibilidade de ela ser responsabilizada criminalmente pelo acidente com o Airbus A320 da TAM, em julho de 2007, no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo. Seria um absurdo jurídico. Não há qualquer nexo ou ligação de causa e efeito entre o trágico acidente e a atuação de Denise no colegiado que dirigia a Anac, afirmou o advogado Roberto Podval, em nota.

Agência Estado |

Podval destaca ainda o fato de que outros quatro diretores atuavam ao lado de Denise, "sob o comando do presidente Milton Zuanazzi". "O acidente não teria ocorrido se os manetes do avião estivessem na posição correta", destacou.

Denise era diretora da agência quando o avião da TAM varou a pista do Aeroporto de Congonhas e se chocou contra um prédio da empresa, matando 199 pessoas. O relatório final da investigação do acidente foi entregue na quarta-feira à direção do Departamento de Polícia Judiciária da Capital (Decap).

Reportagem publicada nesta sexta pelo jornal "O Estado de S. Paulo" indica que dez altos funcionários e integrantes da cúpula da Anac na época do acidente devem ser enquadrados por atentado contra a segurança de transporte aéreo.

    Leia tudo sobre: acidente da tam

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG