O ministro da Justiça, Tarso Genro, prometeu hoje, em São Paulo, que decidirá de forma isenta sobre a demissão ou não do delegado da Polícia Federal (PF) e mentor da Operação Satiagraha, Protógenes Queiroz. Segundo o próprio Protógenes, ele será afastado e, posteriormente, demitido da PF sob a acusação de ter participado de um comício político.

"A questão tem de ser vista a partir da letra fria da lei. Esse é um caso comum que vai se desdobrar de maneira natural e será analisado não pela ótica política, mas pela ótica jurídica, técnica e isenta, sem qualquer envolvimento no contencioso eleitoral para prejudicar ou favorecer o delegado", disse Genro.

Após ser afastado das operações da Satiagraha, Protógenes se aproximou de partidos e se filiou ao PC do B. O delegado da PF deve concorrer a uma vaga de deputado nas eleições do 2010. O ministro da Justiça se esquivou de responder se achava correta a participação de Protógenes em eventos políticos. "Não vão examinar essa questão antes de o processo chegar à minha mesa. Seria uma forma desleal de abordar o assunto e até de politizá-lo. Ainda não tenho uma posição a respeito do pedido."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.