Demarcação em ilhas afetaria cultura de índios da Raposa, alerta Marina Silva

BRASÍLIA - A senadora e ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva (PT-AC) afirmou nesta quarta-feira (10) que a demarcação da Terra Indígena Raposa Serra do Sol em ilhas seria ¿anormal¿. Ela acompanha, no Supremo Tribunal Federal (STF), o julgamento de ação que contesta a demarcação da reserva em área contínua.

Agência Brasil |

Espero que prevaleça o Artigo 231 da Constituição Federal e que não se tenha uma quebra na normalidade no que concerne à demarcação de terras indígenas, que ela seja de forma contínua, disse Marina. A demarcação em forma de ilhas desconstrói não só a terra, mas a própria cultura, a identidade e a possibilidade de que essas comunidades [indígenas] possam seguir seu destino de acordo com a sua tradição, completou a senadora.

Sobre a possibilidade de conflito entre índios e produtores de arroz que vivem na Raposa após o término do julgamento no Supremo, independentemente da decisão, Marina Silva ressaltou que é papel do Estado mediar essas questões.

Se alguém está querendo passar por cima da Constituição Federal, há que se colocar todos os meios possíveis para evitar qualquer forma de conflito.

O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) também acompanha o julgamento e disse esperar que a decisão do STF respeite o direitos dos povos indígenas.

Leia também:

Leia mais sobre: Raposa Serra do Sol 

    Leia tudo sobre: raposa serra do sol

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG