Brasília - Em defesa dos interesses do estado de Roraima, o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Francisco Rezek fez a sustentação oral no plenário da Corte a favor da ação que contesta a demarcação da Terra Indígena Raposa Serra do Sol em área contínua.

Rezek contestou o fato de a demarcação da reserva indígena ter sido feita por meio de portaria do Ministério da Justiça, o que segundo ele, ocorreu nos corredores do Executivo. Uma Constituição que manda que o Congresso Nacional fale até sobre o aproveitamento de recursos hídricos em terras indígenas não é compatível com o trato dessa matéria por portarias e decretos, argumentou.

O ex-ministro disse ainda que o estado de Roraima não pode ser tratado durante o julgamento como uma "confederação" que representa os produtores de arroz ou comunidades indígenas. Ele é uma unidade da federação e seu interesse é perfeitamente legítimo de resolver a questão, apontou. O ex-ministro avaliou ainda que o estado vem sendo tratado pela União como um quintal.

Leia mais sobre: Raposa Serra do Sol

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.