DEM volta atrás e suspende obstrução na Câmara

Durou apenas uma sessão a disposição da bancada do DEM da Câmara em obstruir as votações do plenário e das comissões, enquanto o presidente da Casa, Arlindo Chinaglia (PT-SP), não declarar a perda de mandato do deputado Walter Brito Neto (PRB-PB), cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por infidelidade partidária. O partido, que na quinta-feira anunciou que pararia a Câmara, recuou e já retirou todos os requerimentos de obstrução que preparou na sessão de hoje.

Agência Estado |

Em busca de uma saída honrosa para o recuo, o deputado José Carlos Aleluia (DEM-BA), em nome da liderança da bancada, questionou Chinaglia se ele estaria com a disposição de cumprir a decisão judicial, quando os recursos de Brito Neto na Justiça forem exauridos. Com a resposta afirmativa, o partido disse estar satisfeito. "Confiamos na palavra de vossa excelência", disse Aleluia. O deputado disse que o DEM queria garantir que não haveria uma ação da Mesa para adiar o cumprimento da decisão judicial.

Brito Neto perdeu o mandato por decisão do tribunal em março passado, porque trocou o DEM pelo PRB em setembro de 2007, posterior a 27 de março de 2007, data a partir da qual o TSE estabeleceu que os mandatos pertencem aos partidos e não aos parlamentares. Desde setembro, o TSE enviou ofício à Câmara determinando que a Mesa declare a perda de mandato do deputado e convoque o suplente.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG