negou a existência de imagens, registros de placas de carros e de autoridades que estiveram no Palácio do Planalto no final do ano passado e início deste ano." / negou a existência de imagens, registros de placas de carros e de autoridades que estiveram no Palácio do Planalto no final do ano passado e início deste ano." /

DEM vai pedir investigação sobre destruição de imagens no caso Lina

Brasília - O DEM anunciou neste sábado, em nota, que irá protocolar uma representação no Ministério Público Federal (MPF) contra o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) que http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2009/08/21/planalto+diz+que+imagens+da+garagem+ja+foram+apagadas+8028944.html target=_topnegou a existência de imagens, registros de placas de carros e de autoridades que estiveram no Palácio do Planalto no final do ano passado e início deste ano.

Agência Brasil |


O pedido do DEM é para que o MPF abra investigação sobre as condutas praticadas pelo ministro-chefe do GSI, general Jorge Armando Félix, diante da suspeita de queima de arquivo público

Os dados de controle de acesso seriam uma forma de comprovar o suposto encontro entre a ex-secretária da Receita Federal Lina Maria Vieira e a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. Na ocasião, segundo Lina, houve um pedido de Dilma para agilizar as investigações sobre o empresário Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney (PMBD-AP).

Reprodução

Lina em depoimento na CCJ na terça-feira

Na nota, o DEM ressaltou que a destruição de documento público e a inutilização de livro oficial são crimes previstos nos Artigos 305 e 314 do Código Penal.

Rodrigo Maia, presidente do DEM, lembrou ainda que o partido aguarda resposta da Casa Civil a requerimento do deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO) que pede informações sobre a agenda oficial da ministra Dilma Rousseff e as gravações do circuito interno e externo do Palácio do Planalto.

Se o governo não responder em 30 dias o documento encaminhado pela Câmara dos Deputados nesta sexta-feira (21/08), o DEM ameaça entrar com uma nova representação, por crime de responsabilidade, contra a ministra Dilma.

Leia mais sobre: crise no Senado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG