DEM tem de expulsar deputado e reaver vaga na Justiça, diz presidente do partido

BRASÍLIA - O presidente do DEM, deputado Rodrigo Maia (RJ), disse que a Executiva nacional do partido deve expulsar, nesta terça-feira, o deputado Edmar Moreira (MG) de seus quadros. Depois disso, acredita, a sigla deve brigar na Justiça para que a cadeira do parlamentar permaneça em poder da legenda.

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |

"No que depender de mim o deputado sai do partido", disse Maia. "Acho que sim [que vamos pedir a vaga de volta para o DEM]. Se ele descumpriu o estatuto pode ser direito do partido requerer o mandato", completou.

Questionado se a expulsão de Edmar do partido não seria uma espécie de perseguição, uma vez que ele não foi convidado a se defender, Maia disse que não. De acordo com ele, Edmar descumpriu clausulas éticas do DEM e deu declarações, em sua carta de renuncia à 2ª Vice-Presidência, criticando os colegas da agremiação, o que tornou insustentável sua permanência na sigla.

"O DEM não tem condições de ter ele em seus quadros", disse o deputado, acrescentando que, caso a Executiva opte pela expulsão sumária, ele ainda poderá se defender posteriormente.

Sobre a abertura da 2ª Vice-Presidência da Mesa, Maia não adiantou se o deputado Vic Pires (DEM-PA), que venceu as disputa interna pela indicação à vaga, vai mesmo ser o indicado pela legenda. "Isso vamos resolver amanhã [terça-feira]".

TSE

Mais cedo, nesta segunda-feira, Edmar ingressou no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com um pedido de desfiliação partidária devido à perseguição política dentro do DEM. Caso o TSE julgue o caso favoravelmente, mesmo saindo do partido ele conseguiria manter seu mandato de deputado.

Leia mais sobre: Edmar Moreira

    Leia tudo sobre: edmar moreira

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG