BRASÍLIA - O deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ) protocola, na manhã desta terça-feira, uma representação contra o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência na Procuradoria Geral da República (PGR).


Agência Brasil
A ex-secretária da Receita Lina Vieira
O presidente do DEM irá acompanhado do advogado do partido entregar o documento que pede a investigação sobre se houve queima de arquivo pelo GSI das imagens do suposto encontro entre a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, e a ex-secretária da Receita Federal, Lina Maria Vieira, no fim do ano passado no Palácio do Planalto.

Caso seja provado que houve o beneficiamento do próprio GSI ou do Palácio do Planalto, o partido pede que o chefe do GSI, General Jorge Armando Félix, seja responsabilizado pelos crimes de destruição de documento público ou, ainda, sonegação de livro oficial ou qualquer documento, com base nos artigos 305 e 314 do Código Penal.

Por meio de nota, o governo informou na última sexta-feira (21), que não havia registros de placas de carros de autoridades nem imagens de pessoas que estiveram no Palácio do Planalto no final do ano passado.

Em depoimento na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, na última terça-feira, a ex-secretária da Receita reafirmou que se reuniu com a ministra da Casa Civil , Dilma Rousseff, e ouviu dela um pedido para "que agilizasse a fiscalização" do filho do presidente do Senado, José Sarney.

Leia mais:

Leia mais sobre: Receita

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.