DEM expulsa deputado acusado de comandar milícia no Rio

SÃO PAULO - A Executiva Nacional do partido Democratas decidiu nesta quarta-feira expulsar o deputado estadual Natalino Guimarães, do Rio de Janeiro. Ele é acusado de chefiar uma milícia conhecida como Liga da Justiça, que controla favelas da zona oeste da cidade. O partido aprovou o relatório do senador Demóstenes Torres (GO) que pedia a cassação do deputado. Para o senador, pesou na decisão a prisão em flagrante de Natalino, na própria casa, no dia 22 de julho durante suposta reunião da milícia.

Reuters |

Os 16 integrantes da Executiva que estavam presentes na reunião em Brasília votaram pela cassação.

O irmão de Natalino, vereador Jerônimo Guimarães Filho, o Jerominho (PMDB), já tinha sido preso pela mesma acusação.

Segundo a polícia do Rio, o grupo, que movimenta cerca de 5 milhões de reais por mês, teria objetivos políticos, que incluíam a eleição de um senador com o apoio da milícia.

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio recebeu denúncias de candidatos que foram impedidos de entrar em comunidades carentes e favelas do Rio, alegado ser determinação de traficantes e milícias que estariam fazendo campanha para candidatos concorrentes.

Leia mais sobre: DEM

    Leia tudo sobre: dem

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG