DEM é criticado por obra ao iniciar fiscalização do PAC

O DEM iniciou hoje no Recife a Caravana da Cidadania Fiscalizando o PAC, com a qual pretende apontar eventuais falhas nas obras no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do governo federal, mas não conseguiu escapar de críticas a seus próprios projetos. Ao visitar o último local programado, o bairro do Jordão, no Recife, o partido do ex-governador de Pernambuco Roberto Magalhães foi cobrado por moradores por não ter concluído revestimento e dragagem do Canal do Jordão - obra municipal de R$ 24 milhões incluída no programa federal.

Agência Estado |

Para o verdureiro Moacir Brito Batista, de 52 anos, o DEM (antigo PFL) foi o responsável pela construção da obra em foco e também deveria responder pelo que cobrava do governo federal. Os democratas prometeram pressionar pela conclusão das obras. Comandada pelo presidente nacional do partido, Rodrigo Maia (RJ), a caravana contou com a participação de lideranças locais, do deputado federal André de Paula (PE) e do líder do DEM na Câmara, Ronaldo Caiado (GO), que, em seu discurso, chamou a ministra Dilma Rousseff de "mulher incompetente" e o PAC de "Programa de Aceleração de Campanha eleitoral". O presidente do DEM reforçou os ataques à ministra dizendo que Dilma tem tido uma gestão "pífia e de grande incompetência de um programa que não funciona."

A caravana é um contraponto às constantes viagens do presidente da República, que normalmente leva ao seu lado a ministra da Casa Civil, a quem batizou de "mãe do PAC". A caravana do DEM vai percorrer cidades em todo o País, passando por um Estado por semana. "Tem muita obra anunciada que não começou, obra licitada que tem canteiro de obras e não foi iniciada, como o Arco Rodoviário do Rio de Janeiro", afirmou Maia.

Balanço da oposição

De acordo com os líderes da caravana do partido de oposição, das 10 principais obras do PAC em Pernambuco, sete estão com o cronograma atrasado, uma está paralisada, outra em execução e apenas uma, adutora do Sistema Pirapama, está dentro do prazo. Segundo o DEM, apenas 77 projetos do PAC dispõem de dotações orçamentárias específicas, dos quais 49 não têm destinação de recursos. Nacionalmente, sustenta o DEM, dos R$ 646 bilhões previstos no PAC, apenas 9,5% integram o PAC orçamentário (2007/09) e existem R$ 17,3 bilhões de restos a pagar (2007/08) relativos a obras pendentes ou não iniciadas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG