DEM deve decidir sobre expulsão de Arruda até sexta

A decisão sobre a permanência ou expulsão do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, dos quadros do DEM deverá ser anunciada na madrugada de sexta-feira. O presidente nacional da legenda, deputado federal Rodrigo Maia (RJ), anunciou hoje que a reunião da Executiva Nacional que definirá o futuro político do governador, marcada para quinta-feira, deve se estender até as primeiras horas do dia seguinte.

Agência Estado |

Antes de bater o martelo sobre a situação do governador, os caciques do partido devem receber em mãos a defesa de Arruda, que tem até as 18 horas de quinta-feira para entregá-la ao relator do caso, o ex-deputado José Thomaz Nonô (AL).

"A decisão pode ser dada nas primeiras horas da sexta-feira. Disso certamente não passa. É uma questão de prazo legal. Vamos julgar assim que o relatório do Nonô estiver pronto, o que deve ocorrer poucas horas depois", afirmou Maia. O presidente do DEM disse ainda que, se for necessário, os caciques da legenda vão trabalhar durante a madrugada. O deputado negou a possibilidade de a reunião ser adiada para a próxima semana, diante do risco de que alguns membros da Executiva retornem a seus Estados na sexta.

Também supostamente envolvido no esquema, o vice de Arruda, Paulo Octavio (DEM), pode ser alvo de processo de expulsão da legenda. Rodrigo Maia reconheceu hoje que há constatações sobre o envolvimento do vice no mensalão do DEM, mas que nada pode ser feito até que um dos membros da legenda entre com um pedido de expulsão.

O governador do Distrito Federal é apontado pela Polícia Federal (PF) como um dos articuladores de esquema de arrecadação e distribuição de propina a membros da base aliada de seu governo, ação investigada pela Operação Caixa de Pandora, deflagrada no dia último dia 27.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG