DEM define nesta terça-feira futuro de Arruda no partido

O DEM deve anunciar nesta terça-feira a decisão sobre o destino no partido do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, acusado de participação em um suposto esquema de corrupção. A executiva do DEM tem reunião marcada às 16h para tirar uma posição sobre o procedimento a ser adotado em relação ao governador.

Camila Nascimento, iG São Paulo |


  • Empresário põe dinheiro na cueca

    Essa é uma decisão que a Executiva vai tomar amanhã [terça]. No estatuto do partido, há varias alternativas. Essas denúncias são muito graves, é fundamental que o governador faça a sua defesa. Por esse motivo a Executiva se reunirá para decidir o caminho que tomará o partido, disse o deputado Rodrigo Maia, presidente nacional do DEM.

    "O partido não concorda em assumir como seus os erros atribuídos ao governador. Mensalão do DEM, não. Alto Lá!", reagiu o senador José Agripino Maia (RN), líder do DEM no Senado.

    Rodrigo Maia não confirmou se o possível afastamento do vice-governardor Paulo Octávio e de deputados do partido citados no inquérito estará em discussão na reunião da Executiva.

    Na segunda-feira, as denúncias contra o governador Arruda motivaram três reuniões da cúpula do DEM. A segunda reunião, com a participação de Arruda, realizada na residência oficial de Águas claras, terminou em impasse. O governador se recusa a pedir desligamento do partido e quer prazo para apresentar sua defesa.

    Arruda recebeu os dirigentes do DEM com os seus advogados para mostrar que tem argumentos jurídicos convincentes para apresentar em sua defesa. No entanto, não houve unidade entre os Democratas sobre que posição deve ser tomada.

    Arruda foi flagrado em vídeo, divulgado em primeira mão pelo iGrecebendo um maço de dinheiro . A divulgação das imagens trouxe constrangimento ao partido, o antigo PFL, refundado em 2007 sob a bandeira da ética, um dos pilares do novo estatuto.

    Vídeo desmente versão de Arruda

    Ao fim da reunião, Arruda reafirmou que os recursos eventualmente recebidos do ex-secretário de Relações Institucionais Durval Barbosa foram repassados entre os anos de 2004 e 2006 para fins eleitorais. Em pronunciamento, Arruda afirmou que todo o dinheiro foi registrado ou contabilizado, assim como os demais itens da campanha. O governador alegou inocência e disse que não sai do DEM .

    Mas as gravações feitas pelo próprio Durval, divulgadas pelo iG em primeira mão , e o inquérito da operação desmentem a versão de Arruda. As imagens e o inquérito revelam que o suposto esquema de corrupção ainda estava em operação pela cúpula do governo do DF, como mostrou a reportagem de Lucas Ferraz .

    (*com informações da Agência Estado)


    Escândalo no Distrito Federal

    Entenda

    Inquérito da PF

    Vídeos

    Leia também:

    Crise de 2001

    • Leia tudo sobre: arruda

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG