DEM decidirá amanhã sobre intervenção em diretório

O presidente do DEM, deputado Rodrigo Maia (RJ), confirmou para amanhã a decisão da Executiva do partido sobre a dissolução do diretório da legenda no Distrito Federal. A desfiliação do governador em exercício do DF, Paulo Octávio, anunciada hoje, não evitou o pedido para que haja uma intervenção no comando partidário na capital federal.

Agência Estado |

"O pedido será colocado em votação amanhã e a Executiva decide por maioria", disse Maia.

Na reunião de amanhã, a Executiva do DEM vai reafirmar a decisão de Rodrigo Maia para que todos os filiados ao partido deixem eventuais cargos que ainda ocupem no governo do DF.

O deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO), que junto com o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) assina requerimento de dissolução do diretório regional no DF, informou que, caso seja aprovado o pedido, uma comissão provisória será constituída. Ele argumentou que o atual diretório desobedeceu a decisão nacional de romper com o governo do DF, então comandado pelo governador licenciado José Roberto Arruda (ex-DEM). Arruda está preso há duas semanas na Superintendência da Polícia Federal, sob acusação de tentar subornar testemunhas do processo que investiga o "Mensalão do DEM" em Brasília.

Desfiliação

Paulo Octávio se antecipou a uma expulsão se desfiliando hoje do partido. "Ele viu que, nos últimos dias, a situação dele estava ficando mais complicada no partido", disse Maia.

O deputado Ronaldo Caiado afirmou que Paulo Octávio tinha consciência de que seria expulso amanhã por decisão da Executiva do partido. "A tendência majoritária era totalmente favorável a sua desfiliação (de Paulo Octávio). Sabedor disso, fez como Arruda e bateu em retirada", disse Caiado.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG