DEM ameaça processar parlamentar que deixar a sigla

O presidente nacional do DEM, deputado federal Rodrigo Maia, disse hoje que o partido vai pedir o mandato dos parlamentares que se desligarem da sigla antes de 3 de outubro, data limite para novas filiações visando à campanha eleitoral de 2010. Nós, que votamos à favor da fidelidade partidária, não podemos ter outra posição que não seja reivindicar esses mandatos, afirmou ao explicar a decisão da Executiva Nacional do DEM, durante encontro com pré-candidatos a deputado estadual e federal, no Recife.

Agência Estado |

"Não se trata de nada pessoal contra quem quer que seja, apenas decidimos pela uniformidade nesse direcionamento".

Segundo Maia, governadores de todo o País têm encorajado os deputados a trocar de partido, uma vez que eles podem resolver a questão na Justiça Eleitoral. "Governador não pode mandar na Justiça", reagiu. "A Lei é clara: se um deputado deixa o partido, perde o mandato e se o partido não for atrás do mandato, o Ministério Público deve ir".

Sucessão presidencial

Maia disse temer uma chapa puro sangue tucana na sucessão presidencial. "Tenho medo de uma chapa São Paulo/Minas", afirmou, diante das especulações de que o PSDB poderia lançar o governador de São Paulo, José Serra, tendo como candidato a vice o governador de Minas Gerais, Aécio Neves.

Para ele, uma chapa composta pelos dois tucanos pode enfrentar problemas no Nordeste, região onde, segundo ele, o DEM tem grande capilaridade.

"Temos que derrotar o PT, mas não de qualquer forma", afirmou, ao frisar que o seu partido tem história e representatividade e não pode ficar a reboque das decisões dos aliados. "Um candidato do Democratas a vice-presidente agregaria ainda mais à chapa", defendeu.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG