Delegados são presos em AL acusados de homicídio

Os delegados da Polícia Civil de Alagoas Aylton Soares Prazeres e Gilberto Luiz França foram presos hoje, em Maceió, acusados de homicídios praticados no interior do Estado. Eles estavam com mandado de prisão temporária decretado pela Justiça e se apresentaram na sede da corporação.

Agência Estado |

Segundo o delegado Rodrigo Rubiale, os dois delegados foram levados para Delegacia de Repressão ao Narcotráfico (DRN), onde cumprirão a ordem judicial.

O pedido de prisão temporária foi feito pelo Ministério Público (MP), com base em procedimento instaurado para apurar o assassinato de Roberto Pedro Martins de Araújo, conhecido por Timba , executado a tiros no dia 10 de junho de 2005 em Santana do Ipanema, no sertão alagoano. Segundo os promotores, a vítima pode ter sido executada para não testemunhar sobre outro assassinato atribuído aos dois delegados. Timpa seria ouvido no caso da morte de Cícero Neto Silva, o Taruga . Os dois delegados foram denunciados por homicídio qualificado.

Para o juiz da Comarca de Santana do Ipanema, Durval Mendonça, que decretou a prisão dos delegados, Timba deve ter sido vítima de "queima de arquivo", pois há possibilidade do crime ter sido praticado para assegurar a impunidade dos agentes no caso do assassinato de Taruga . Segundo o magistrado, vinte dias após o assassinato de Taruga , em 20 de maio de 2005, Timba foi morto.

De acordo com as investigações, os delegados teriam participação nos dois homicídios porque solicitaram a Timba a pintura de um carro roubado, que mais tarde foi apreendido com Taruga . Por isso, Timba aparecia como importante testemunha para o desvendar a autoria do primeiro homicídio.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG