Os delegados de Polícia de São Paulo trabalham em operação padrão desde o meio-dia desta terça-feira. Segundo a Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (Adpesp), os delegados de todo Estado realizam apenas as funções atribuídas ao cargo e deixarão de realizar atividades incorporadas à atividade cotidiana, mas da natureza de cargos, como de escrivão, motorista, carcereiro e outras funções.

A categoria quer a reestruturação da carreira e modernização do atendimento à população.

De acordo com a associação, o salário de um delegado em início de carreira é de cerca de R$ 3.600. Já um delegado em fase final de carreira tem vencimento variável entre R$ 7 mil e R$ 8 mil. Segundo o sindicato, há no Estado 3.443 cargos oficiais, 3.200 ocupados.

"Decidimos que faríamos isso, em assembleia, no dia 8 de março, comunicamos ao governo e apresentamos proposta objetiva para promover um melhor atendimento à população e modernizar a Polícia Civil. O governo não se manifestou. Agora, vamos exercer basicamente nossa função, não vamos mais fazer o que não está entre as atribuições do cargo", ressalta Marilda Pansonato Pinheiro, presidente da Adpesp.

Marilda afirma que os delegados vêm, há anos, cumprindo funções extras. "Por conta disso o Estado se locupletou. Fazemos isso para atender à população, que sofre com desaparelhamento da polícia e um atendimento que poderia ser melhor."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.