Delegado Protógenes é investigado pela Polícia Federal, afirma diretor

BRASÍLIA - O diretor-geral da Polícia Federal, Luiz Fernando Corrêa, afirmou nesta quarta-feira à Comissão Mista de Controle de Atividades de Inteligência do Congresso Nacional que o delegado Protógenes Queiroz, está sendo investigado institucionalmente por não ter comunicado à cúpula da PF sobre a participação da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) nas investigações da Operação Satiagraha.

Carol Pires, Último Segundo/Santafé Idéias |

Acordo Ortográfico

Protógenes esteve à frente da Operação Satiagraha e foi responsável pelas prisões do sócio-fundador do Opportunity, do investidor Naji Nahas e do ex-prefeito de São Paulo - acusados de crimes financeiros.

Já o diretor-geral afastado da Abin, Paulo Lacerda, confirma a autorização da cúpula da agência para que os arapongas participassem da operação da PF. Dentro da Abin, as autorizações ocorreram. Se em relação à Polícia Federal não houve isso, eu lamento e imaginava que isso estivesse ocorrendo. Mesmo assim, até agora não vi nenhum ato que pudesse ser imputado ilegalidade na ação dela, muito menos crime, afirmou Lacerda.

Depõe neste momento à Comissão Mista de Controle de Atividades de Inteligência do Congresso Nacional, além de Paulo Lacerda e Luiz Fernando Corrêa, o general Jorge Félix, ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI).

Leia mais sobre: Protógenes Queiroz

    Leia tudo sobre: polícia federal

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG