RIO DE JANEIRO - O delegado Marcus Neves, da 35ª Delegacia de Polícia, de Campo Grande, pediu nesta segunda-feira a prisão de 18 pessoas acusadas de terem promovido uma chacina na Favela do Barbante, no último dia 20.

Segundo ele, seis são policiais militares que faziam parte de uma milícia. O objetivo era jogar a culpa da morte de sete pessoas inocentes sobre o tráfico de drogas.

Agiram para criar dentro da comunidade a expectativa de que a presença de milicianos na região era indispensável para que a segurança fosse garantida. Eles imputaram a traficantes esses homicídios e queriam, com isso, garantir a permanência de milicianos na região, afirmou o delegado.

Marcus Neves confirmou que um dos indiciados é Luciano Guimarães, filho do vereador Jerônimo Guimarães Filho, o Jerominho, e disse que só está esperando a decisão da Justiça para começar a prender os acusados pela chacina.

Leia mais sobre: milícias

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.