Delegado indicia 5 por seqüestro de empresário em SP

O delegado Alfredo Luiz Ondas, titular do 3º Distrito Policial (DP) de Americana (a 128 quilômetros de São Paulo), indiciou por extorsão mediante seqüestro e formação de quadrilha cinco acusados de seqüestrar o empresário Pedro Ivo Torres de Souza, de 21 anos, que conseguiu escapar do cativeiro, no domingo, após matar com três golpes de machado um dos seqüestradores. Ondas enviou hoje ao juiz André Carlos de Oliveira, da 1ª Vara Criminal da cidade, a conclusão do inquérito policial.

Agência Estado |

Entre os indicados, estão Nilson de Matos, de 52 anos, e o sobrinho dele Alexandre de Matos, de 19, presos ontem. Nilson e Alexandre de Matos estavam foragidos. Primo distante do pai de Torres de Souza, Antônio Alves de Souza, Nilson de Matos foi preso numa chácara no Jardim Cruzeiro do Sul, em Santa Bárbara d'Oeste (a 138 quilômetros da capital paulista). Com ele, havia um Gol cinza. A polícia constatou que o carro tinha sido roubado em abril, em Bocaina (SP). Hoje, em depoimento ao delegado em Americana, Nilson de Matos teria admitido participação no seqüestro.

Segundo relato à polícia, ele disse que levava comida para o empresário refém e pedia para não o maltratarem. Mas o suspeito negou, porém, ter planejado alguma coisa. A polícia trabalhava com a hipótese de ele ser o mentor do crime. "Isso ele negou", afirmou Ondas. Nilson de Matos também responderá pela receptação do automóvel encontrado na chácara. O acusado foi levado para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Americana.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Alexandre de Matos negou qualquer envolvimento no seqüestro. "Disse que não conhecia ninguém além do Nilson e que não sabia nem por que estava sendo preso", afirmou Ondas. A polícia pediu prisão temporária de 30 dias para Alexandre de Matos, preso no Jardim dos Lírios, em Americana, na casa de um amigo. Ele foi levado para a Cadeia Pública de Santa Bárbara d'Oeste (SP).

Transportadora

Segundo informou o empresário à polícia, Nilson, Alexandre de Matos e o seqüestrador morto, Robson da Silva Barbosa, de 39 anos, estavam juntos na sexta-feira, quando Torres de Souza foi levado da frente da transportadora da família, em Carapicuíba, na Grande São Paulo, sob ameaça de morte.

Com um revólver, o trio teria levado a vítima para um canavial e, posteriormente, para o cativeiro, em Americana. Barbosa foi morto quando cochilava. O cativeiro pertencia, supostamente, a Gamaliel Carlos Moraes, de 42 anos. Moraes, a estudante de psicologia Kaline Cantelli Boer, de 22 anos, e a mulher de Alexandre de Matos, Rosivânia Scarante, de 29, foram indiciados na segunda-feira. Kaline foi transferida, segundo a Polícia Civil, para a Cadeia Feminina de Leme (SP). Rosilvânia foi para a Cadeia Feminina de Charqueada (SP). Moraes foi levado para o CDP de Americana.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG