Delegado diz que há um suspeito em caso de trote violento em Leme, São Paulo

SÃO PAULO - O delegado Fernando Teixeira Bravo confirmou, nesta terça-feira, que há um supeito de ter realizado trote universitário violento contra o calouro de medicina veterinária da Faculdade Anhanguera, Bruno Ferreira, de 21 anos. Bruno foi internado em coma alcoólico na Santa Casa de Leme, no interior de São Paulo. Segundo Teixeira, o suspeito foi apontado pela mãe de Bruno quando a ocorrência foi resgistrada. Porém, até o momento, não houve indiciamento.

Redação |

"O indiciamento não aconteceu em virtude dos procedimentos policiais. Primeiro, preciso saber a natureza das lesões", explica. Teixeira afirma que somente após o laudo sobre a gravidade dos ferimentos, a polícia poderá se posicionar sobre o caso.

Como a cidade de Leme não possui um Instituto Médico Legal (IML), o delegado informou que Bruno já está em casa e será encaminhado ao IML de Araras ou de Limeira na quarta-feira (11).

"Se as lesões forem consideradas leves, caberá a vítima representar ou não. Caso seja constatado que são lesões graves, instauro um inquérito policial e prossigo com as investigações".

Em nota divulgada, a Faculdade Anhanguera se posicionou "totalmente contra o trote violento". A instituição informa que abriu uma sindicância para apurar a responsabilidade da agressão e diz que tomará as medidas cabíveis.

Leia mais sobre: trote

    Leia tudo sobre: trote

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG