Delegado diz que agressores saíram armados para boate em SC

Entre os suspeitos estão três menores de 17 anos e um homem de 18. Todos já foram presos pela polícia

iG São Paulo |

O delegado Davi Queiroz, titular da Comarca de Jaraguá do Sul, no Estado de Santa Catarina, afirmou nesta quarta-feira que os suspeitos de matar o jovem Rafael Santana, de 18 anos, na saída de uma boate, no último sábado , já possuíam pequenas facas antes de entrar no estabelecimento, onde a vítima se encontrava. Queiroz informou ainda que um dos suspeitos escondeu as armas em uma rua vizinha para não ser barrado pela segurança da casa noturna. Entre os suspeitos estão três menores de 17 anos e um homem de 18, todos já presos pela polícia.

"O porte das armas aponta quão mal intencionados eles estavam. Antes de entrarem na boate, eles esconderam a faca em uma rua vizinha para usá-la quando a briga tomasse proporções maiores", garante o delegado.

Uma cena de ciúme causada pela namorada de um dos suspeitos foi o motivo para o início da briga. Os envolvidos e a própria vítima iniciaram uma discussão dentro do estabelecimento. Após serem expulsos do local pelos seguranças, a briga continuou na rua, como mostram as imagens da câmera de segurança da Polícia Militar.

Para o delegado, o vídeo foi crucial para o reconhecimento e apreensão dos suspeitos. "Um dos suspeitos alegou ser inocente e que não tinha nenhum envolvimento no caso, o que foi desmentido com as imagens", conclui.

Os próximos passos da investigação, segundo o delegado, consistem em analisar a arma do crime, o laudo do Instituto Médico Legal (IML) sobre o corpo da vítima e ouvir outras testemunhas - como a namorada de um dos suspeitos e outras pessoas presentes no local do crime.

    Leia tudo sobre: crimeagressãomortesanta catarina

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG