Delegado da Polícia Federal confirma na CPI que Kroll fazia escutas clandestinas

BRASÍLIA - O delegado da Polícia Federal Élvio Vicente da Silva confirmou hoje (7) na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Escutas Telefônicas que a empresa Kroll ¿ contratada pelo grupo Opportunity, de Daniel Dantas, para investigar as empresas Brasil Telecom e Telecom Itália ¿ fazia escutas telefônicas clandestinas e também interceptações de mensagens eletrônicas das empresas. As afirmações foram feitas durante depoimento pela manhã.

Agência Brasil |

Há provas sim de interceptações telemáticas [de mensagens] e telefônicas. Agora, quantas são, não me recordo. O delegado, que depôs como testemunha, disse também que os envolvidos foram processados e se defendem dos crimes na Justiça.

Durante as investigações da Operação Chacal, a Polícia Federal descobriu que circulava entre as empresas de investigação particulares uma tabela com preços de interceptações telefônicas fixas e móveis. O que eu sei é que, por facilidade física, interceptação telefônica fixa era mais barata, afirmou. Segundo ele, a PF não se aprofundou em descobrir mais detalhes sobre a origem das tabelas, pois não era esse o foco das investigações.

    Leia tudo sobre: cpi

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG