Definida regra para docentes temporários em SP

O tempo de serviço do professor temporário terá o mesmo peso que a nota na prova obrigatória no momento de escolher as aulas na rede pública estadual. A titulação dele também será levada em conta, mas com peso menor.

Agência Estado |

As mudanças fazem parte de um pacote para carreira do magistério anunciado na terça-feira pelo governo do Estado de São Paulo. O professor poderá participar do processo de atribuição de aulas por meio de uma pontuação, após os efetivos terem feito suas escolhas.

A prova somará até 80 pontos. O tempo de serviço na rede valerá outros 80 pontos. A titulação do professor contará 20 pontos. No entanto, quem não for aprovado no exame não poderá dar aulas, devendo cumprir uma carga horária reduzida em funções docentes auxiliares, como na biblioteca. No ano seguinte, esse professor poderá tentar novamente ser aprovado. O exame obrigatório para temporários foi criado por um projeto de lei e precisa ainda ser aprovado pela Assembleia Legislativa.

Anteontem, representantes dos sindicatos da categoria, como Apeoesp e a CNTE, reclamaram da falta de diálogo do governo com os professores na elaboração das mudanças anunciadas. Segundo eles, o projeto suscitou muitas dúvidas que ainda precisam ser esclarecidas. A secretaria informou que desde ontem está enviando e-mails para professores temporários que participaram de reuniões no ano passado e que, a partir de hoje, diretorias de ensino deverão comunicar seus docentes. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG