Deficiente visual passa por estágios de aprendizagem

Os cegos passam por diversos estágios de aprendizagem até ganharem autonomia plena de vida, o que está relacionado diretamente com as habilidades desenvolvidas pelo deficiente visual por meio de treinos específicos. De acordo com a educadora Nely Garcia, professora da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP) e doutora em programas de orientação e mobilidade, os cegos que se locomovem com a ajuda de bengala são os mais bem treinados.

Agência Estado |

“A pessoa com cegueira passa a desenvolver melhor os outros sentidos através da sinestesia (cruzamento de sensações) e outros recursos. Agora, ela precisa ser estimulada para se desenvolver, como em cursos de reabilitação”, afirma a educadora da USP. “O primeiro estágio é o do guia-vidente, quando o cego se segura em alguém com visão normal. Depois, vem a fase da autoajuda e ele utiliza uma parede ou proteções como guia. O grau maior de independência é atingido com a técnica da bengala longa."

A educadora é colaboradora em uma pós-graduação sobre orientação e mobilidade, curso que é procurado também por pessoas que enxergam normalmente, segundo ela. “Alguns são familiares de cegos e outros são profissionais que têm interesses pessoais em conhecer as técnicas utilizadas”, afirma.

Segundo a professora, as pesquisas científicas dessa área apontam que a visão representa 80% ou até 90% das informações assimiladas pelo ser humano no seu cotidiano. As informações são do Jornal da Tarde .

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG