Defesa vai pedir habeas-corpus para pai de Eloá

SÃO PAULO ¿ A equipe de defesa do ex-cabo da Polícia Militar Everaldo Pereira dos Santos, pai de Eloá Pimentel, assassinada após ser mantida refém pelo ex-namorado Lindemberg Alves, concedeu uma entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira. Os advogados José Beraldo e José Carlos Faria disseram que Santos, que está foragido, não deve dar entrevistas e que vai se apresentar no momento oportuno. Segundo a defesa, em breve será pedido um habeas-corpus para o ex-PM. A mãe de Eloá, Ana Cristina Pimentel da Silva, também estava presente.

Danielle Ferreira, do Último Segundo |

Com a morte de Eloá, a polícia de Alagoas reconheceu o ex-PM que estava sendo procurado sob acusação de assassinar a ex-mulher Marta Lúcia Pereira. Segundo Claudilene e Rita de Cássia, irmãs de Marta, a motivação para o homicídio teria sido "queima de arquivo".

A defesa do ex-PM afirma que a prisão de seu cliente não foi decretada porque o juiz responsável pelo caso não considera que ele representa perigo à sociedade. Também foi dito que Eloá sabia da condição de foragido do pai, mas o ex-namorado não tinha conhecimento do passado de Santos.

Foi anunciado nesta quinta-feira que o caso de Everaldo e de Lindemberg Alves serão julgados separadamente. A partir desta cisão, os advogados têm dez dias para apresentar a defesa de seu cliente. Beraldo disse que foi uma grande conquista o fato de Everaldo dos Santos não ter de se sentar no mesmo banco de réus do responsável pela morte de sua filha, Lindemberg Alves.

A Justiça havia entendido que os crimes eram conexos pois uma arma encontrada por Alves no apartamento da família de Eloá seria do pai da garota. O advogado José Beraldo disse que a espingarda, que tinha a numeração raspada, foi escondida dentro de um armário por Lindemberg. Ana Cristina Pimentel disse que nunca houve armas dentro de sua casa e ela acredita nesta possibilidade, que, segundo Beraldo, está sendo confirmada pelas investigações.

Leia mais sobre caso Eloá

    Leia tudo sobre: assassinatocaso eloá

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG