Em 2008, o então embaixador dos EUA no Brasil, Clifford Sobel, taxou a diplomacia brasileira de anti-americana

Os ministérios da Defesa e das Relações Exteriores (Itamaraty) não comentaram os novos vazamentos do site Wikileaks, que mostra telegramas da diplomacia dos Estados Unidos alegando que a chancelaria brasileira tem inclinações anti-americanas.

"Não vamos comentar o assunto", disseram as assessorias de imprensa tanto da Defesa quanto do Itamaraty.

Os documentos do Wikileaks vieram a público pela jornal Folha de S. Paulo e, paralelamente às críticas ao Itamaraty, julga o ministro da Defesa, Nelson Jobim, que deve seguir na pasta no governo Dilma Rousseff como um dos líderes mais confiáveis do país.

Num telegrama de janeiro de 2008, o então embaixador americano no Brasil, Clifford Sobel, relata que Jobim o disse que o então secretário-geral do Itamaraty, Samuel Pinheiro Guimarães, “odeia” os EUA e trabalha para criar problemas na relação entre Brasília e Washington.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.