Defesa de Arruda pede revogação da prisão preventiva

Os advogados do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (ex-DEM), pediram nesta terça-feira ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) a revogação da prisão preventiva decretada no mês passado. A defesa alega excesso de prazo para a prisão e afirma que, em razão de problemas de saúde, Arruda deveria deixar a carceragem da Polícia Federal.

Agência Estado |

Em nota, o STJ informou que o documento já foi encaminhado para o Ministério Público Federal para manifestação, por determinação do presidente do inquérito na Corte, ministro Fernando Gonçalves. A questão, segundo a nota, não irá à julgamento na Corte Especial desta quarta-feira, dia 17.

Foi a mesma Corte Especial que decretou, por 12 votos a 2, a prisão preventiva de Arruda no dia 11 de fevereiro diante dos indícios de que estaria tentando obstruir as investigações. Naquela sessão, apenas os ministros Nilson Naves e Teori Zavascki votaram contra a prisão.

A tentativa de tirar Arruda da cadeia no STJ é a alternativa que os advogados encontraram depois da derrota por 9 votos a 1 no Supremo Tribunal Federal (STF). Há duas semanas, os ministros do STF negaram o pedido de liberdade.

O pedido da defesa é feito no mesmo dia em que foram divulgados os resultados dos exames médicos do governador. Nesta terça-feira, ao deixar a sede da Superintendência da Polícia Federal em Brasília, o médico de Arruda, Brasil Caiado, revelou que o governador está com 50% da artéria principal do coração obstruída e terá que se submeter a um cateterismo - processo cirúrgico para exame detalhado das coronárias ou correção de problemas cardiovasculares.

Com informações do iG São Paulo. 

Leia mais sobre escândalo no DF .

    Leia tudo sobre: escândalo no df

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG