SÃO PAULO - A defesa do médico Roger Abdelmassih entrou, no último sábado, com pedido de liberdade para o cliente no Supremo Tribunal Federal, em Brasília.

    AE
    O médico Roger Abdelmassih em sua clínica
    O segundo pedido de habeas-corpus para o médico foi negado na última sexta-feira (21) pelo Tribunal de Justiça de São Paulo.

    Abdelmassih foi preso na última segunda-feira, 17, sob a acusação de estuprar 56 mulheres. Os crimes teriam começado na década de 1970.

    Na semana passada, o Conselho Federal de Medicina suspendeu seu registro profissional por tempo indeterminado. Abdelmassih está preso no 40º Distrito Policial, em Vila Santa Maria.

    Depoimentos

    Até este domingo, quatro mulheres haviam sido ouvidas no inquérito que investiga denúncia contra o médico Roger Abdelmassih, dono da maior clínica de reprodução assistida do País.

    Segundo a Secretaria de Segurança Pública, a primeira acusação corre em segredo de justiça e o depoimento das mulheres faz parte de uma nova denúncia.

    As depoentes estão sendo ouvidas pela delegada Celi Paulino Carlota, da 1ª Delegacia da Mulher.

    Muro de clínica é pichado; assista


    Leia mais sobre
    Abdelmassih

      Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.