Sete corpos foram encontrados ontem no Alto do Baú, no município de Ilhota (SC). Dessa forma, passam de cem as mortes na tragédia por causa das chuvas que atingiram o Estado.

O jovem Luís Paulo Hostim, de 17 anos, foi reconhecido pela família. Outras seis vítimas continuam no alto do morro, que veio abaixo com a catástrofe, e deverão ser transportadas hoje, de helicóptero. “Infelizmente, há muito mais corpos no Alto do Baú, isso é certeza”, afirmou Paulo Roberto Drun, coordenador da Defesa Civil de Ilhota.

Com os sete corpos localizados ontem, Ilhota passa a ter 32 mortes na tragédia - às 19h30, a Defesa Civil do Estado ainda não tinha atualizado esse número. É a cidade com o maior número de óbitos. E todas as vítimas eram do Alto do Baú. Os primeiros corpos começaram a ser resgatados na terça-feira, porque a prioridade inicial era apenas resgatar os sobreviventes.

Desde o início das operações de socorro, os sobrevôos das equipes de resgate têm sido constantes nos morros Alto Braço, Braço do Baú, Alto do Baú, Baú Seco e Morro Seco. E ainda há pessoas que se recusam a abandonar o local. Em Ilhota, há 1.300 desabrigados e 2.600 desalojados. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.