MANAUS - Onze instituições do Pará, em uma ação coordenada pelo governo estadual, entregam nesta quarta-feira, em Altamira, 2,5 mil cestas básicas, mil colchões, além de cobertores, água potável e medicamentos a famílias prejudicadas pela chuva. Estima-se que 5 mil famílias que vivem na cidade tenham sido atingidas pela forte chuva do último domingo. A prefeita do município, Odileida Sampaio, assinou decreto de calamidade pública, mas o documento não foi homologado pelo governo paraense, que orientou o município a decretar situação de emergência.

A secretária executiva da Defesa Civil de Altamira, Jane Maranhão, informou que na cidade há cerca de 60 barragens e algumas delas ainda estão sob risco de rompimento, apesar da redução do nível dos rios. É o caso da barragem do Parque do Açaí, localizada em uma área fronteiriça entre a zona urbana e a zona rural do município, na Rodovia Transamazônica.

Segundo Jane, na terça-feira foram tomadas providências para reduzir esses riscos, como a drenagem do local para diminuir a pressão da água. Contudo, a área ainda está sob observação já que, se houver rompimento, igarapés que passam por bairros da cidade podem sofrer inundações com a água proveniente da barragem.

Hoje mesmo vamos fazer nova análise dessa área [Parque do Açaí]. Quanto à distribuição dos colchões, cobertores, e outros, estamos fazendo o possível. Logicamente não conseguimos atingir de imediato 100% das famílias, mas vamos priorizar os casos mais urgentes, disse a secretária executiva, em entrevista à Agência Brasil.

De acordo com ela, a governadora Ana Júlia Carepa visita hoje os desabrigados, além de sobrevoar as áreas alagadas. O objetivo é ver de perto a situação e, com isso, reunir mais informações que possam contribuir para a definição das próximas ações para o município. As aulas nas escolas públicas da cidade foram suspensas por causa da ocupação de algumas instituições pelos desabrigados e pela impossibilidade de alguns alunos se deslocarem até as unidades de ensino. A prefeitura trabalha para que as aulas sejam normalizadas até o fim desta semana.

De acordo com a Secretaria de Comunicação do governo estadual, os desabrigados estão, sobretudo, em casas de amigos e parentes e ainda no Centro Poliesportivo e no Parque de Exposição Agropecuária do município. Depois da forte chuva que abalou a cidade, parte da Rodovia Transamazônica e da estrada que dá acesso ao aeroporto ficou destruída mas, segundo a secretaria, já foram recuperadas e, pouco a pouco, o trânsito de veículos nessas áreas volta à normalidade. O comércio também retoma sua rotina, com a reabertura de lojas.

Segundo o coordenador do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) no Pará, José Raimundo Abreu, a chuva registrada no último domingo em Altamira ocorreu de forma intensa em curto período de tempo: entre a zero hora e a meia-noite foram registrados 226 milímetros de chuva. O volume representa 70% da média histórica mensal verificada nos últimos 30 anos, ou seja, 329,4 milímetros. Abreu disse também que todo o estado do Pará vem registrando concentrado grande volume de chuvas desde fevereiro.

As chuvas tendem a diminuir gradativamente nas próximas semanas. Ainda assim, na maior pare do Pará, o mês de maio deve concentrar chuvas um pouco acima da média histórica, acrescentou o coordenador.

Nove mil pessoas estão desabrigadas em Rio Branco

Leia mais sobre: chuva

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.