Defensores do letreiro Holywood ganham mais um prazo para salvá-lo

O grupo que está tentando salvar o letreiro ícone de Hollywood das garras de um projeto imobiliário terá 16 dias para arrecadar um milhão e meio de dólares que ainda faltam para comprar o terreno nas montanhas ao norte de Los Angeles, informaram nesta quarta-feira seus promotores.

AFP |

O grupo sem fins lucrativos Trust for Public Land e o vereador da cidade de Los Angeles, Tom LaBonge, tentam há dois meses arrecadar 12,5 milhões de dólares para comprar os quase 56 hectares pertencentes a um grupo de investidores com sede em Chigago, que pretende construir um complexo de quatro mansões de luxo onde estão instaladas, desde 1923, as famosas letras brancas.

Getty Images

Trust for Public Land cobre letreito de Hollywood com a frase "Salvem o pico"


"Precisamos arrecadar um total de 12,5 milhões de dólares e hoje estamos com 11 milhões", disse à imprensa Will Rogers, presidente do grupo. Segundo ele, assim que o objetivo for alcançado, o terreno será concedido à cidade.

"Nossa data-limite originalmente era 14 de abril, mas graças a cooperação dos proprietários, agora temos até o dia 30 de abril".

Na campanha para salvar o letreiro ícone da capital, participaram estrelas como Steven Spielberg, Rita Wilson e Tom Hanks.

Em Los Angeles, uma das cidades com maior concentração de milionários no mundo, a imprensa indicou nesta quarta-feira que a herdeira do magnata Paul Getty, Aileen, e a joalheria The Tiffany & Co. anunciaram doações de 500 mil dólares cada uma, faltando assim "apenas" 500 mil dólares para completar a quantia.

O famoso anúncio, em várias ocasiões foi objeto de campanhas para resgatá-lo de investidores imobiliários ou restaurá-lo, como em 1978, quando o fundador da Playboy, Hugh Hefner, criou uma fundação para reparar as letras.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG