Defensor público pede que Exército deixe morro no RJ

O defensor público da União André Ordacgy entrega hoje à Justiça ação civil pública pedindo a retirada imediata das tropas do Exército do Morro da Providência. Segundo ele, a ação foi motivada porque o Exército está exercendo função de polícia no morro, o que não é sua função constitucional.

Agência Estado |

O pedido foi motivado pelo fato de militares envolvidos na segurança das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) na favela supostamente terem detido e entregue três jovens a traficantes do Morro da Mineira, que mataram os três.

"O Exército tem justificado sua presença na Providência com o argumento de que estaria realizando obras, e realmente está. Mas segurança é atividade exclusiva das polícias, e está sendo feita pelo Exército também, como está sendo feito nesse caso. Os três jovens chegaram em casa de madrugada - e não há obra funcionando de madrugada -, foram detidos e passaram por procedimento de revista. Tudo isso é atividade de segurança pública, não de obra", disse o defensor.

    Leia tudo sobre: militares

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG