O governador de Sergipe, Marcelo Déda (PT), criticou a proposta dos governadores do Sudeste de adiar o debate sobre a reforma tributária enquanto durar a crise financeira mundial. Em entrevista após deixar o gabinete do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Palácio do Planalto, Déda alfinetou o governador paulista José Serra (PSDB) e disse que todos devem buscar um crescimento equilibrado do País.

"É legítimo que o Estado de São Paulo tenha posição que reflita seus interesses. Agora, é preciso entender que o Brasil não é apenas São Paulo", disse o petista. "Ninguém quer onerar (São Paulo) e ninguém quer que São Paulo termine pagando a conta."

Marcelo Déda informou que Lula discute a reforma tributária na próxima terça-feira num encontro com governadores do Nordeste, no Recife. "O desafio de equilibrar o crescimento passa por sacrifícios de quem mais tem condições de fazer", disse. "O que não pode é sacrificar quem já está secularmente sacrificado, como os Estados do Nordeste."

O governador de Sergipe disse que a reforma do sistema tributário pode "fortalecer" a economia no momento de crise. "Se todos são unânimes em dizer que o sistema é pesado e caro para a sociedade, nada mais propício que debater agora o assunto", afirmou. "É claro que a velocidade de sua tramitação vai depender da nossa capacidade de construir mais processos", disse. "Há muitos conflitos mesmo entre Estados de uma mesma região."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.