O papa Bento XV assinou nesta sexta-feira o decreto que reconhece a vida de virtude heroica da religiosa baiana Maria Rita de Sousa Brito Lopes Pontes, morta em 1992, aos 77 anos, conhecida no Brasil como Irmã Dulce. Com a medida, a freira já pode passar a ser chamada de Venerável Dulce e fica ratificada a decisão tomada, por unanimidade, pelo colegiado da Congregação para a Causa dos Santos, do Vaticano, em 20 de janeiro.

O título representa o reconhecimento, pela Igreja, de que a religiosa "viveu, em grau heroico, as virtudes cristãs da fé, esperança e caridade" e é o último estágio antes do processo de beatificação da freira - que corre desde janeiro de 2000.

A oficialização da elevação de Irmã Dulce a venerável pegou de surpresa os fiéis da religiosa - que aguardavam a assinatura do sumo pontífice apenas para junho - e fez crescer a expectativa em torno da beatificação da freira.

O arcebispo de Salvador e primaz do Brasil, dom Geraldo Majella Agnelo, diz que o reconhecimento, por parte do papa, apesar de já esperado, continua sendo "uma alegria muito grande". "Continuamos na expectativa da beatificação e da canonização."

Leia mais sobre: Irmã Dulce

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.