Declaração de amor da filha marca funeral de Michael

Fernando Mexía. Los Angeles (EUA), 7 jul (EFE).- Na solene homenagem prestada ao cantor Michael Jackson nesta terça-feira, vários artistas, amigos e familiares exaltaram a benevolência e o talento do rei do pop, mas o grande momento da cerimônia foi da filha do músico, Paris Michael Katherine, de 11 anos, que fez uma emocionada declaração de amor ao pai.

EFE |

"Desde que nasci, meu pai foi o melhor pai que se pode imaginar", disse Paris, que se controlava para não chorar e era amparada pelos tios. Em seguida, olhando para o caixão com o corpo de Michael, afirmou: "Só quero dizer que te amo muito".

O inesperado testemunho da menina ofuscou o resto da cerimônia, já que ninguém nunca havia ouvida a voz dos superprotegidos filhos do cantor.

O misto de show e funeral em homenagem a Michael, que durou mais de duas horas e foi acompanhado pela TV por milhões de pessoas em todo o planeta, também teve como ponto alto a interpretação das canções "We Are The World" e "Heal The World".

Nesse momento, que pôs fim aos números musicais da cerimônia, a família Jackson subiu ao palco montado no ginásio Staples Center, no centro de Los Angeles, e se uniu aos cantores e mais de 17 mil fãs presentes que entoavam as músicas.

"Uma parte de você sempre viverá em todos nós. Talvez agora te deixem em paz, Michael", disse Marlon, um dos irmãos do cantor.

O evento, dirigido pelo coreógrafo Kenny Ortega ("High School Musical"), o mesmo que ensaiva com Michael para os shows que o cantor faria a partir deste mês em Londres, aconteceu com o caixão do músico, todo dourado, posicionado no centro do palco.

Ortega disse que o ginásio Staples Center foi escolhido como "templo" para a solene homenagem porque foi nele que, em 24 de junho, um dia antes de morrer, Michael fez seu último ensaio.

Os cantores Mariah Carey e Trey Lorenz abriram as apresentações musicais com "I'll Be There", sucesso do grupo Jackson Five. Já a atriz e cantora Jennifer Hudson cantou "Will You Be There", do álbum "Dangerous", lançado por Michael em 1991.

Pelo palco, passaram ainda artistas como John Mayer, que tocou "Human Nature", o rapper Usher, que interpretou "Gone Too Soon", e o britânico Shaheen Jafargholi, cantor mirim que, a convite de Michael, participaria da série de shows em Londres.

Em outro momento de grande emoção durante o funeral, Jermaine Jackson, o irmão mais velho de Michael, cantou a música "Smile", de Charles Chaplin e que, segundo o testemunho dado pela atriz Brooke Shields, era a preferida do "rei do pop".

Um vídeo exibido durante a cerimônia lembrou os vários sucessos e momentos da carreira do músico. O músico Stevie Wonder, que cantou e tocou "Never Dreamed You'd Leave in Summer", declarou: "Gostaria de não estar vivo para ver este momento".

A cerimônia também teve um tom religioso muito forte. Um coro gospel deu às boas-vindas ao caixão de Michael, enquanto Lionel Richie cantou "Jesus is Love".

Os reverendos Lucious Smith e Al Sharpton deram suas condolências à família. Este último também levantou o público quando afirmou que Michael foi capaz de unir pessoas de diferentes origens e raças com as suas músicas.

Os fãs também ovacionaram a mensagem do fundador da Motown, Berry Gordon, que se referiu ao ex-pupilo como "o maior artista" de todos os tempos.

Já a atriz Queen Latifah subiu ao palco para falar em "nome dos fãs de todo o mundo". Ao ler sua mensagem, arrancou aplausos ao afirmar que "Michael era a maior estrela na Terra".

Os ídolos do Los Angeles Lakers Kobe Bryant e Magic Johnson, por sua vez, ressaltaram a compaixão de Michael e as causas beneficentes que ele apoiava.

A homenagem pública ao cantor teve início às 10h10 (14h10 de Brasília). O evento começou com as palavras do artista Smokey Robinson, que leu uma série de mensagens destinadas à família Jackson, uma delas da cantora Diana Ross e outra do líder sul-africano Nelson Mandela.

O caixão com o corpo do cantor chegou ao local minutos antes do início da funeral, às 9h50 (13h50 de Brasília). O traslado do corpo foi feito num carro fúnebre. Durante todo o trajeto, o veículo foi escoltado pela Polícia.

Além dos policiais, uma comitiva de mais 29 veículos acompanhou o o caixão nos 20 quilômetros entre o cemitério Forest Lawn, em Hollywood Hills, e o Staples Center.

Para evitar incidentes durante o traslado, várias ruas da cidade foram fechadas ao tráfego.

A quadra onde o time de basquete Los Angeles Lakers costuma disputar seus jogos da NBA (liga nacional de basquete) foi inteiramente coberta. Sobre ela, foi montado um palco azul. Várias coroas de flores também foram espalhadas no local. EFE fmx/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG