Decisão do governo sobre Battisti é soberana, diz Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deu demonstrações de pleno apoio à decisão do ministro da Justiça, Tarso Genro, de dar status de refugiado político ao italiano extremista de esquerda Cesare Battisti, condenado à prisão perpétua pela morte de quatro pessoas nos anos 1970. A decisão do Brasil neste episódio é soberana, disse após participar de entrevista coletiva em Corumbá, ao lado do presidente boliviano Evo Morales.

Agência Estado |

Os dois chefes de Estado participaram da inauguração de trecho de rodovia na divisa entre os dois países, que recebeu investimentos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e faz parte do corredor bioceânico que vai ligar o Atlântico ao Pacífico.

Indagado sobre uma possível crise diplomática com a Itália por conta da decisão sobre Battisti, Lula disse que a "Itália pode até não gostar, mas vai ter que aceitar porque é uma decisão do País". "Se cada país respeitar a decisão dos demais, as relações internacionais serão melhores", disse o presidente, completando ainda que não vê problemas (por conta dessa atitude) do Brasil com o "G8, nem com um G9, G10, G11 etc".

Dizendo que o Brasil é "generoso", Lula argumentou, para justificar a decisão que o País tomou em relação a Battisti, que "esta pessoa é acusada de um crime ocorrido em 1978 e quem o acusou nem existe mais para ser comprovada a veracidade do fato". "Passado tanto tempo ele já é outra pessoa, é um escritor... O ministro já decidiu que ele fica no Brasil."

    Leia tudo sobre: lula

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG