Debate mantém clima de guerra em Belo Horizonte

O clima de guerra e troca de acusações que marcou a reta final do segundo turno da campanha em Belo Horizonte manteve-se no debate da TV Globo, ontem à noite, entre os candidatos Márcio Lacerda (PSB) e Leonardo Quintão (PMDB). O momento mais tenso foi registrado no início, quando o candidato do PSB cobrou do peemedebista explicações sobre a denúncia de que ele e seus parentes usaram doleiros para enviar recursos ao exterior por uma conta investigada no esquema do Banestado, conforme matéria publicada pelo jornal Estado de Minas .

Agência Estado |

"Não tenho nada a declarar a esse respeito, porque eu estudei oito anos nos Estados Unidos. Tive contas estudantis, isso é mais do que normal", respondeu Quintão, que divulgou o número de seu CPF para sugerir que não tem pendências. "Fui vereador em Belo Horizonte, fui deputado estadual, sou deputado federal. Nada que desabonasse até hoje a minha vida. Infelizmente eleitor, nessa reta final, tem aparecido coisas. E você quem decide se acredita ou não."

O socialista também levantou suspeita ao dizer que, nos últimos dois anos, como deputado federal, Quintão foi um dos quatro parlamentares que mais aumentaram seu patrimônio. Quintão rebateu afirmando que Lacerda declarou à Justiça Eleitoral patrimônio de R$ 55 milhões, o maior entre os candidatos a prefeito das capitais.

Nas considerações finais, o peemedebista reiterou que, caso eleito, trabalhará em parceria com os governos Aécio e Lula e prometeu dobrar recursos do orçamento participativo. Atacou, porém, a campanha milionária do adversário e disse que lutava contra duas forças políticas poderosas, sustentadas pelos "palácios". Lacerda ressaltou o projeto político do governador e de Pimentel, seus aliados. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG